Mcleod Ganj – 17 a 19 de março.

Continuando nossa viagem em direção norte, fomos ao encontro da Cordilheira Dhauladhar. Desta vez contratamos uma espécie de táxi numa viagem de 277,19km feita em 5h.

Mcleod Ganj, também chamada de Little Tibet, foi a cidade escolhida por Dalai Lama em 1959 para ser seu novo lar e sede do governo tibetano no exilio, mantendo as tradições religiosas e culturais dos tibetanos, após a China ter invadido seu país.

Em uma encosta de uma montanha, com frio de 14 graus, pudemos observar traços totalmente diferentes daqueles até então vistos por nós na Índia: habitantes com ‘olhos puxados’, outros dialetos, comida tibetana, além do fato de que a montanha faz parte da cadeia do Himalaia, a cordilheira mais imponente do mundo! Parecia realmente estarmos em outro país que não a Índia.

Mcleod Ganj, com a Cordilheira Dhauladhar ao fundo.

Mcleod Ganj, com a Cordilheira Dhauladhar ao fundo.

Aspecto de Mcleod Ganj. Cordilheira Dhauladhar ao fundo.

Aspecto de Mcleod Ganj. Cordilheira Dhauladhar ao fundo.

Encosta de Mcleod Ganj repleta de construções para hospedar turistas.

Encosta de Mcleod Ganj repleta de construções para hospedar turistas.

Basicamente a cidade tem duas ruas, lotada de estrangeiros andando entre as milhares lojas de artesanatos, vindos, na maior parte, da Caxemira [região ao norte da Índia, sob disputa entre este país, Paquistão e China].

Nossa estada em Mcleod Ganj foi para descanso, pois o Sidnei esteve com um desarranjo intestinal. Nada que o repouso forçado e uma alimentação tibetana menos picante não resolvessem.

Visitamos o Mosteiro Dalai Lama, na parte aberta aos turistas, com esperança de vê-lo numa cena do acaso. Encontramos apenas com centenas de monges budistas e paz.

Monge budista alimenta sua fé no Monastery Dalai Lama.

Monge budista alimenta sua fé no Monastery Dalai Lama.

Ao fundo, complexo do Monastério Dalai Lama.

Ao fundo, complexo do Monastério Dalai Lama.

Monja Budista.

Monja Budista.

A não ser que se busque conviver com os ensinamentos do Dalai ou aproveitar a grande oferta de produtos e serviços, a cidade não mereceria uma visita por parte de quem deseja algo original. Mesmo as caminhadas e expedições de montanha que são ofertadas ali, acreditamos estarem disponíveis em muitos outros lugares sem a conturbação que percebemos nesta cidade.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Mcleod Ganj – 17 a 19 de março.

  1. renata rocha amaral disse:

    Liana e Portela, essa foi mais uma surpreendente viagem de vocês.Tenho certeza que muitos amigos se encantaram e se surpreenderam com as histórias relatadas. adorei!

  2. Liliane Queiroz disse:

    Liana e Sidney!!
    acompanhei toda a viagem de vcs!! Fascinante!! Adorei todos os relatos ,fiquei preocupada com o incidente , curti todas as fotos,me emocionei !! Que bom !! Fico muito feliz por vcs !!!! Gde beijo!!!

  3. Liana Brito disse:

    Ola Lili, a viagem ja esta quase no fim e com certeza com adoraveis lembrancas… Obrigada pelo carinho. Bjs

  4. Liana Brito disse:

    Ola Renata, sempre nos acompanhando….. Que bom que esta curtindo. Abraco

  5. Jo disse:

    Estou acomapnhando tudo, maravilha de viagem, imensa bagagem cultural. Sidão, vou te contratar como feela de fotografia. Abração!

  6. mmpersonal disse:

    Podem continuar viajando bastante, pois é muito bom ficar daqui ouvindo as novidades. Parabéns!

  7. Carlos Magno disse:

    que fotos….que viagem…
    que amigos eu tenho viu !!!saudade pessoal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s